sexta-feira, 29 de junho de 2012

O preto


 Era uma vez uma criatura que ia para sua aula de ioga. Costuma ir compostinha, que tem um fatinho de calça igual à blusita, bem bonitinho, que sabe que lhe fica bem, que as salas de ioga são assim como as de ginástica, têm sempre espelhos, e a criatura já a viu ao espelho, fica bonitinho. E depois, levava o cabelo assim apanhado no alto do cucuruto, assim a modos que ao estilo bailarina, mas mais esgrouviado, que é demasiado rebelde, mais o seu cabelo, para penteados muito arranjadinhos. Assim a modos que uma bailarina redonda, mas pronto. Com uma saliência na zona abdominal, que as bailarinas não costumam ter, mas pronto. 

Veio um rapaz, que até era preto bem preto, e olhou para a tal criatura. A criatura olhou para o moço, já que estava a olhar para ela, para ver o que se passava, não fosse ter vestido as calças das vessas. Mas como não lhe parecesse nada de especial, deixou de olhar. E o moço também. 

Mas depois passou um cãozito. E fez-lhe um mimo e sorriu para o cãozito. A criatura. E o moço voltou a olhar. E ela pensou: mas será que o rapaz nunca viu ninguém que gosta de cães? E continuou a olhar e ela começou a ficar com medo. Mas depois passou outro cãozito fofo e voltou a sorrir ao cãozito, e aí o moço inverteu a marcha e foi atrás da sua pessoa.

E a sua pessoa começou com suores frios. 

E só não estugou o passo porque isso costuma aumentar a velocidade de gente que persegue outra gente. Tentou, tranquilamente, manter a calma e aproximar-se da aula de ioga.

Graças a Deus Nosso Senhor, tem a sorte de ter um professor de ioga que ocupa a porta toda, não à largura, mas ao comprimento, e é assim careca, o que, para quem não sabe o que é ioga, lhe dá assim um ar meio skin que dá muito jeito em certas circunstâncias. Como esta.

E sempre era o professor skin que dava a aula naquele dia, e por sorte, estava à porta.

Nunca pensou a criatura que sorrir para cãezitos fofos pudesse dar origem a tais trabalhos. Quando chegou à aula, já ia suada, escusou o professor skin de estar a esforçar-se tanto.

5 comentários:

mitro disse...

...atão, mas que raio queria o preto?

Nina Porcelain Lennitta disse...

Não seiii... não te esqueças que qualquer semelhança com a realidade, é pura coincidência! ;)

Képia disse...

também pergunto... mas que raio queria o preto???

Nina Porcelain Lennitta disse...

Não sei, mas segundo consta, uma avozinha, uma vez, no Pingo Doce, comentou algo com um, e sorriu-lhe, e ele foi atrás da avozinha, com o avozinho por perto e tudo... é a vida!

Nina Porcelain Lennitta disse...

Pretos, brancos, vermelhos, castanhos, amarelos... haverá sempre fenómenos que temos dificuldade em explicar! :P